Papa manifesta "dor profunda" por ataques a católicos

O papa João Paulo II se manifestou hoje sobre os ataques realizados neste domingo contra igrejas no Iraque. O pontífice afirmou que está "próximo dos católicos iraquianos que sofreram tanta dor" pelos ataques de ontem às igrejas de Bagdá e Mossul. O papa se referiu aos ataques, que deixaram 11 mortos, como "agressões injustificadas".João Paulo II enviou uma mensagem ao patriarca da Babilônia dos Caldeus e presidente da assembléia dos bispos católicos do Iraque, Emmanuel III Delly, encarregando-os de "manifestar aos pastores e aos fiéis dos vários credos toda a sua solidariedade nestas horas de sofrimento, deplorando vivamente as injustas agressões para quem só tenta colaborar pela paz e a reconciliação do país"."Frente os trágicos ataques contra várias comunidades católicas do Iraque", disse em uma declaração ao vice-diretor da sala de imprensa da santa Sé, padre Ciro Benedittini, "que foram tanto mais graves porque se dirigiram contra os fieis que estavam reunidos em oração no dia do Senhor, o Santo Padre expressou toda a sua proximidade aos católicos iraquianos que têm sofrido tanta dor".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.