Papa não teme ameaça terrorista ao Vaticano, diz cardeal

Apesar das advertências sobre uma conspiração terrorista contra o Vaticano, o papa João Paulo II não teme por sua própria segurança e mantém a convicção de que o terrorismo deve ser combatido com a resolução de suas causas, disse o cardeal Renato Martino em uma entrevista publicada pelo jornal romano La Repubblica.As declarações do religioso, pertencente à alta hierarquia da Igreja, foram a primeira reação de um funcionário da Santa Sé à advertência feita pelo primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, de que terroristas haviam planejado seqüestrar um avião e lançá-lo contra o Vaticano durante o Natal. Berlusconi revelou que havia notícias "precisas e verídicas sobre um ataque a Roma no dia de Natal" em declarações a um jornal de Milão, publicadas no último sábado.Martino, que preside o Concílio Pontifício para a Justiça e a Paz, confirmou que a segurança havia sido intensificada ao redor do Vaticano nas últimas semanas, mas que o papa "não tem o mínimo receio". "Este papa nunca temeu nada. De outra maneira, nunca teria feito tudo o que vimos e ouvimos" em seus 25 anos de pontificado, afirmou Martino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.