Papa pede a jornalistas católicos que digam a verdade

O papa João Paulo II disse hoje a jornalistas da religião católica que o trabalho deles não deveria ser focado apenas em notícias negativas e que eles devem dizer a verdade, mesmo se ela for inconveniente. O pontífice, em discurso a integrantes da União Católica Internacional de Imprensa, tentou explicar o que considera um profissional católico do jornalismo. "Significa ter a coragem de buscar e divulgar a verdade, mesmo quando a verdade é inconveniente ou não é considerada politicamente correta", afirmou.Para o papa, um jornalista católico deve "oferecer exemplos de esperança e heroísmo para um mundo que precisa desesparadamente das duas coisas". O pontífice afirmou também que um jornalista deve divulgar não apenas as tragédias do mundo, mas também ações realizadas em prol dos necessitados. Cerca de 80 participantes da união, a maioria formada por jornalistas que trabalham em publicações católicas, compareceram à cerimônia no Vaticano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.