Papa pede a líderes mundiais que se unam contra a miséria

O papa Bento XVI pediu neste domingo aos líderes mundiais que unam seus esforços para superar os "graves desequilíbrios" do planeta, e estimulou os jovens a serem "construtores da paz".Em mensagem pronunciada após a reza dominical do Ângelus na Praça de São Pedro, o papa lembrou que hoje é o Dia Mundial Contra a Lepra, doença que é "sintoma de um mal mais grave e mais profundo: a miséria"."Por isso, seguindo a trilha dos meus antecessores, renovo o pedido aos responsáveis pelas nações para que unam esforços para superar os graves desequilíbrios que ainda agridem grande parte da humanidade", disse.Joseph Ratzinger também enviou uma saudação especial aos jovens da Ação Católica de Roma, que se reuniram hoje na esplanada vaticana para encerrar o chamado "Mês da Paz".Por causa do evento, duas crianças da Ação Católica foram ao apartamento papal, no terceiro andar do Palácio Pontifício, para ir à janela junto com o papa e, de lá, soltar duas pombas como símbolo de paz."Confio a vocês a tarefa que propus a todos na mensagem do dia 1º de janeiro: aprendam a dizer e fazer a verdade e se transformem em construtores da paz", disse Bento XVI aos jovens.O papa, antes da reza do Ângelus, se referiu à publicação, na última quarta-feira, de sua primeira encíclica, "Deus caritas est" (Deus é amor), e ressaltou que lembra a importância da caridade na vida do cristão e da Igreja.Coomo é habitual, no fim da oração o papa cumprimentou os peregrinos em diferentes idiomas, desejando aos fiéis "que a visita a Roma fortaleça a fé em Cristo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.