Papa pede clemência para terrorista dos EUA

Com execução marcada para o dia 16 de maio e 60% dos norte-americanos favoráveis à sua morte, o autor do pior atentado da história dos EUA - o que matou 168 pessoas em Oklahoma City, em 1995 -, Timothy McVeigh teve neste sábado um apelo a seu favor. O papa João Paulo II escreveu para o presidente birte- americano, George Bush, pedindo clemência para o terrorista.O pedido, porém, não deve ser atendido, pois Bush é um ferrenho defensor da pena de morte, que aplicou com severidade como governador do Texas. Clair Buchan, porta-voz da Casa Branca, confirmou o recebimento da carta, mas explicou que as chances de McVeigh receber clemência presidencial praticamente não existem."O presidente Bush tem um grande respeito pelo papa João Paulo II, mas se trata de uma situação muito trágica. O presidente também sente muita compaixão pelas 168 vítimas da explosão e por suas famílias", disse.Buchan lembrou que, em todas as ocasiões em que o papa pediu clemência a algum condenado à morte, Bush fez duas perguntas: "Há alguma dúvida sobre a culpa do acusado?"; "Ele teve acesso ao sistema judicial?". Neste caso, disse o porta-voz, "não há dúvida de que o senhor McVeigh teve pleno acesso ao sistema judicial".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.