Papa pede desculpa por abuso sexual de padres

O papa Bento XVI fez um pedido de desculpas direto às vítimas de abuso sexual infantil praticado por sacerdotes da Igreja Católica Romana na Austrália, neste sábado, classificando a prática como um ato diabólico de crueldade e uma grave traição da confiança que desgraçaram a igreja.Grupos de apoio às vítimas informaram que eles querem mais: um compromisso do pontífice para interromper o que eles alegam que seja um processo de acobertamento da escala do problema, além de demandarem que a igreja pare de lutar contra os pedidos de compensação na Corte de Justiça."Eu gostaria de parar para pensar e admitir a culpa que todos nós sentimos como resultado do abuso sexual de menores por alguns sacerdotes neste país", declarou Bento XVI a bispos e outros seminaristas australianos em uma missa. "Eu estou profundamente desconsolado sobre a dor e sofrimento padecidos pelas vítimas e asseguro que, como seu pastor, eu também compartilho de seus sofrimentos", disse."Aqueles responsáveis por essas perversidades devem ser levados à justiça." O papa manifestou pesar sobre os escândalos de abuso que abalaram a igreja nos últimos anos durante uma visita aos Estados Unidos, em abril, mas a linguagem usada no discurso deste sábado foi muito mais forte.O porta-voz do Vaticano, Reverendo Federico Lombardi, afirmou que o papa mudou o texto original, acrescentando as palavras sobre o seu profundo pesar porque queria "enfatizar pessoalmente" que ele se sentia próximo das vítimas.Gota em um balde"É apenas uma gota em um balde - um balde cheio de lágrimas que todos nós que trabalhamos com as vítimas estamos compartilhando nos últimos 25 a 30 anos na Austrália", afirmou Helen Last, do grupo de vítimas "In Good Faith and Associates" - algo como Em Boa Fé e Associados.Anthony Foster, o pai de duas meninas australianas que foram supostamente abusadas por um padre australiano quando eram crianças, teve um encontro com o pontífice durante sua visita. Ele afirmou que autoridades do alto escalão da igreja pediram desculpas repetidas vezes, mas não ofereceram nenhuma assistência prática às vítimas."O que nós não vimos é uma resposta prática e inequívoca e sem limitações que seja dada a todas as vítimas durante suas vidas", disse Foster, acrescentando que a resposta precisa incluir tanto ajuda financeira como psicológica.Ativistas afirmam que há milhares de vítimas de abuso sexual na Austrália. O grupo "Broken Rites" documentou mais de 100 casos nos quais sacerdotes de diversas denominações cristãs foram sentenciados por crimes de abuso.O papa Bento XVI está na Austrália para guiar milhares de peregrinos no Dia Mundial da Juventude, uma celebração global que tem o intuito de inspirar uma nova geração de católicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.