Papa pede fim das guerras e do terrorismo

O Papa João Paulo II pediu, durante a missa de Natal celebrada nesta segunda-feira, o fim do terrorismo, das guerras e a trégua nos conflitos do Oriente Médio, encorajando os fiéis que lotavam a Basílica de São Pedro a lutarem pela paz no mundo. "Neste Natal nossos corações estão preocupados e inquietos pela persistência, em muitas regiões do mundo, da guerra, das tensões sociais e da pobreza em que se encontram muitas pessoas. Todos estamos em busca de uma resposta que nos tranqüilize", afirmou o líder religioso, de 81 anos.Horas antes da celebração, uma forte chuva atingiu os turistas na Praça de São Pedro que admiravam um presépio em tamanho natural e uma árvore de Natal gigante, sob os olhares atentos de vários policiais que revistavam bolsas utilizando até mesmo detectores de metais. A segurança no local foi reforçada pelas autoridades, para as quais a Praça poderia ser alvo de ataques terroristas, principalmente após os atentados do dia 11 de setembro nos Estados Unidos. Sem fornecer maiores detalhes, o porta-voz do Vaticano, Joaquim Navarro-Valls, disse que a Santa Sé havia dado um passo diplomático para impedir a proibição "arbitrária" do líder palestino, Yasser Arafat, de assistir a missa de Natal em Belém. Representantes israelenses disseram que só permitiriam a presença de Arafat na cidade de Jesus se fosse preso o assassino do ministro do Turismo de Israel.A tradicional missa de Natal voltou neste ano a ser realizada no interior da Basílica de São Pedro. Em 2000, a celebração ocorreu na Praça onde a construção está localizada para acomodar os milhares de peregrinos que foram até o Vaticano durante as comemorações do Ano Santo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.