Papa pede maior atenção aos pobres após atentados terroristas

Os "trágicos atentados terroristas" de 11 de setembro, que causaram "graves danos à paz e à convivência entre os civis", exortam o mundo a "olhar com particular urgência para a motivação mais profunda do empenho comum em relação aos pobres", afirmou o papa João Paulo II em mensagem à Jornada Mundial de Alimentação promovida pela FAO, a organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação. Em carta divulgada hoje, dirigida ao diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, o pontífice disse que as palavra do Pai Nosso servem de "significativos pontos de reflexão e válidos critérios de inspiração para atuar". O Pai Nosso, com o "pedido de pão", revela-se como a "oração dos irmãos que, conscientes de não poderem encontrar Deus sozinhos, confiam em poder encontrá-lo juntos, vivendo em comunhão entre si", disse. Esta oração "convida a descobrir o rosto de Deus no rosto do próximo, pelo qual cada um deve responsabilizar-se, principalmente se é mais fraco e carece do alimento de cada dia. Jesus mesmo disse: ´Cada vez que assim fizerem com um dos meus irmãos mais humildes o terão feito a mim´", acrescenta o texto. "Estes pensamentos - prossegue a mensagem - são particularmente atuais após os trágicos atentados terroristas que atingiram os EUA, produzindo um grave dano à paz e à convivência civil entre os povos". O papa também pede que os governantes e os homens de boa vontade dêem "respostas adequadas à demanda de justiça que se levanta entre os afetados pelo grave flagelo da fome, para que cada um ofereça a ajuda proporcional a seus recursos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.