Papa pede por respeito mútuo das religiões enquanto lamenta morte de freira na Somália

O papa Bento XVI apelou nesta terça-feira por respeito mútuo entre as religiões enquanto lamentava o assassinato de um freira italiana na Somália, em ataque suspeito de estar relacionado com a raiva dos muçulmanos em decorrência de suas recentes declarações sobre o Islã e o profeta Maomé."Reafirmando a firme denúncia de todas as formas de violência, a sua santidade espera que o sangue derramado por tal discípulo fiel do evangelho se torna a semente da esperança para a construção de uma irmandade autêntica entre as pessoas e o respeito mútuo pelas convicções religiosas de cada um", afirma um telegrama papal de condolências publicado pelo Vaticano.A freira, de 65 anos, que ensinava e realizava outros trabalhos no hospital infantil de Mogadício, foi assassinada na segunda-feira. Ninguém assumiu a autoria, mas muitos especularam que a morte está relacionada à raiva muçulmana em relação ao papa. Em discurso na semana passada, o papa citou um texto medieval que caracterizava alguns dos ensinamentos do fundador do Islã como "mau e inumano", e relacionava o Islã com a violência. Horas antes da notícia sobre o assassinato da freira, o papa havia afirmado "lamentar muito" pelo sentimento de ofensa causado nos muçulmanos, e disse que o texto que ele citou não refletia sua própria opinião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.