Papa pede que cientistas promovam diálogo e paz

Em discurso realizado para os integrantes da Assembléia Plenária da Academia Pontifícia das Ciências, no Vaticano, o papa João Paulo II encorajou os pesquisadores a promover o diálogo e a paz, e a buscar estratégias que permitam uma distribuição mais equilibrada dos recursos do planeta.Ele afirmou que os cientistas devem se fazer ouvir com "mais clareza e autoridade" e difundir seus princípios e aspirações "nas agências internacionais que utilizam seus trabalhos" para promover a paz, comprometendo-se com a melhora da "instrução e das condições de saúde do homem".João Paulo II disse que os conhecimentos científicos "têm profundo valor para toda a família humana e também incomensurável significado para a Teologia, ao longo do caminho em que a razão busca a fé e a fé busca a razão". A obra dos cientistas é necessária, acrescentou, para "completar cada vez mais a riqueza dos conhecimentos humanos e da revelação bíblica".O papa falou, ainda, sobre a necessidade de aplicar os conhecimentos com "responsabilidade e sensatez em benefício de toda a humanidade" e ressaltou que não se referia apenas "ao perigo que uma ciência que careça de bases éticas possa representar para o homem e o meio ambiente, mas também aos benefícios que a pesquisa pode oferecer para a população, protegendo sua autonomia de pressões econômicas e políticas e tendo como objetivo a verdade e o bem comum".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.