Papa pede que Igreja reflita sobre causas de abuso infantil

Na opinião do pontífice Bento 16, casos alcançaram 'dimensões inimagináveis' em 2010

BBC Brasil, BBC

20 de dezembro de 2010 | 15h18

O papa Bento 16 pediu nesta segunda-feira, 20, que a Igreja Católica reflita sobre o que levou aos inúmeros casos de abuso sexual infantil atribuídos a padres.

As ocorrências que vieram à tona alcançaram "uma dimensão inimaginável" em 2010, segundo o pontífice.

Bento 16 falou da "vergonha" que os casos de abuso causaram para a Igreja.

As denúncias, que surgiram primeiro nos Estados Unidos em 2002, intensificaram-se neste ano na Europa e em outros países.

"Temos de nos perguntar o que há de errado com nossos ensinamentos, em todo o nosso modo de conceber a existência cristã, que permitiu que algo assim ocorresse", disse o papa a cardeais e bispos presentes no tradicional encontro de Natal em Roma.

"Devemos encarar essa humilhação como um chamado para a verdade e um apelo pela renovação", completou.

No entanto, a culpa não seria apenas da Igreja, mas também do "contexto de nossos tempos".

"Existe um mercado pornográfico envolvendo crianças que parece cada vez mais aceito pela sociedade", afirmou o papa.

O correspondente da BBC em Roma David Willey disse que milhares de vítimas de abusos sexuais cometidos por padres vieram a público, e bispos vêm sendo acusados de acobertar casos e de permitir que padres pedófilos continuem a exercer suas atividades.

O Vaticano anunciou novas regras para apressar o julgamento dos religiosos acusados de abusos, numa tentativa de reagir aos escândalos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.