Papa pede que mundo detenha violência

O papa João Paulo II expressou hoje seu pesar pelas vítimas no Oriente Médio e pelo que qualificou de violência "absurda e inútil que jamais resolve os conflitos", e pediu à comunidade internacional que "ajude" israelenses e palestinos a retomarem as negociações. Com seu apelo, o pontífice parece alinhar-se com os que consideram necessária uma intervenção externa para deter o conflito entre as partes. "Sinto necessidade de expressar meu profundo pesar pelas novas vítimas da absurda violência que continua ensangüentando a região do Oriente Médio", disse João Paulo ao encerrar sua audiência geral das quartas-feiras."Repito, com ânimo angustiado, que a violência não resolve nunca os conflitos e, sim, apenas acrescenta (a eles) suas dramáticas conseqüências", acrescentou. "Lanço um novo e urgente apelo à comunidade internacional para que com cada vez maior determinação e coragem ajude israelenses e palestinos a interromperem esta inútil espiral de mortes. Que se reiniciem imediatamente as negociações para que se possa chegar finalmente à tão desejada paz", pediu o chefe supremo da Igreja Católica. Já antes de lançar seu apelo, ao se dirigir em diversos idiomas às 8.000 pessoas que participaram da audiência geral de hoje, o papa havia convidado as pessoas a se unirem às suas orações "pela paz no mundo". Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.