Papa pede que não privem povo africano de esperança

Cotonou, 19 - O papa Bento 16 pediu hoje, no Benin, para que os líderes africanos parem de privar seu povo de esperança e governem com responsabilidade, algumas horas antes de ele ter planejado revelar um guia pastoral para o continente que tenta usar a doutrina da igreja para resolver os problemas da África.

Agência Estado

19 de novembro de 2011 | 10h43

O papa fez seus comentários durante reunião com a elite governista do Benin, um país que dá um raro exemplo de democracia na região.

É a segunda vez que Bento 16 visita à África, a região de crescimento mais rápido para a Igreja Católica Romana. Sua primeira viagem, há dois anos, descarrilou antes mesmo de ele pôr os pés no continente, após dizer a jornalistas no avião papal que o uso de preservativos agrava o problema da AIDS.

Sobre essa visita, o papa evitou a questão sensível, a fim de destacar uma mensagem que ele tentou entregar nos Camarões há dois anos. "A partir desse lugar, eu lanço um apelo a todos os líderes políticos e econômicos dos países africanos", afirmou Bento 16 no palácio presidencial de Cotonou, capital econômica do Benin. "Não privem sua população de esperança. Não os privem de um futuro, mutilando seu presente. Adotem uma abordagem ética, corajosa nas suas responsabilidades", declarou o papa. As informações são da Associated Press. (Clarissa Mangueira)

Tudo o que sabemos sobre:
PapaÁfricaigrejaAIDS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.