Papa pede resistência à cultura que destrói bases da família

No último Ângelus do ano, rezado numa Praça de São Pedro lotada, o papa Bento XVI pediu neste domingo resistência a uma "certa cultura contemporânea que mina as bases da família".Bento XVI, lembrando que no último domingo do ano é celebrada afesta da Sagrada Família de Nazaré, chamou os fiéis a resistirem"aos empurrões desagregadores de uma certa cultura contemporânea,que mina as bases da instituição familiar".O Pontífice também destacou o "valor primário" da família naeducação das pessoas e disse que, "embora nos Evangelhos não se fale da família", um claro exemplo de sua importância é que "Deus decidiu nascer e crescer no seio de uma família".Citando a passagem da Bíblia na qual Jesus se perdeu no templodurante três dias, o papa explicou que o episódio "revela aautêntica vocação da família, que é a de acompanhar cada um de seus componentes no caminho para a descoberta de Deus".O papa acrescentou que a missão da família cristã "é ser célulaviva da sociedade e da Igreja, e sinal e instrumento da unidade para todos os humanos."Nas saudações, Bento XVI pediu "para que nos lares de todas asfamílias do mundo se viva e transmita a fé, sendo, assim,testemunhas do amor". Além disso, o Bispo de Roma lembrou asfamílias marcadas pela tristeza, as tragédias e a violência.Neste domingo, às 15h (de Brasília), na Basílica de São Pedro, o papa celebrará a tradicional Te Deum, cerimônia em que os fiéisagradecerão pelo ano que acaba. Depois, Bento XVI visitará opresépio montado na praça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.