Papa promove padre que fez declarações polêmicas

Agora bispo, Gerhard Wagner disse que o furacão Katrina foi 'retribuição divina' por atitudes sexuais liberais

AE-AP, Agencia Estado

31 de janeiro de 2009 | 16h45

O Vaticano anunciou neste sábado, 31, que o papa Bento XVI elevou a bispo padre austríaco Gerhard Wagner, conhecido por suas declarações polêmicas sobre a furacão Katrina, que devastou a cidade norte-americana de New Orleans em 2005. À época, um jornal local e o website católico austríaco Kath.net informaram que Wagner havia dito que o furacão Katrina foi uma "retribuição divina" contra New Orleans por causa da tolerância dessa cidade com homossexuais e por suas atitudes sexuais liberais. Segundo o Vaticano, Wagner, de 54 anos, foi elevado a bispo auxiliar da cidade austríaca de Linz. Ele servia desde 1988 como pároco em Windischgarsten e formou-se em Teologia pela Universidade Pontifícia Gregoriana de Roma. O agora bispo também teria dito que o Katrina destruiu não apenas os clubes noturnos e bordéis da cidade, mas também suas clínicas de aborto. "As condições de imoralidade daquela cidade são indescritíveis", afirmou Wagner na época, segundo as publicações.

Tudo o que sabemos sobre:
VaticanoBento XVIbispopadreKatrina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.