Adalberto Roque/AFP
Adalberto Roque/AFP

Papa realiza missa para fiéis na praça da Revolução, em Cuba

Vaticano confirmou que 'é possível' um encontro entre o papa e o líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, ainda neste domingo

Felipe Corazza, Enviado especial, O Estado de S. Paulo

20 Setembro 2015 | 09h05

HAVANA - O papa Francisco rezará na manhã deste domingo, 20, sua primeira missa na visita a Cuba. O pontífice iniciará a celebração às 9h locais (10h no horário de Brasília). Os cubanos aguardam o evento com um sentimento de ansiedade e gratidão, já que o papa foi o mediador do diálogo que levou ao acordo de retomada das relações bilaterais entre Havana e Washington. 

O altar está montado a pouca distância do icônico edifício do Ministério do Interior, na Praça da Revolução, prédio que tem uma efígie de Che Guevara ocupando grande parte da fachada. Milhares de pessoas começaram a chegar já na noite desse sábado.

 

Igrejas locais organizaram caravanas e acomodação para os peregrinos que vieram de outras regiões do país e de todo o mundo. Delegações de argentinos, conterrâneos do papa, são numerosas entre a multidão. A presidente do país, Cristina Kirchner, chegou nesse sábado a Havana e acompanhará a cerimônia.

No início da noite de sábado, o Vaticano confirmou que "é possível" um encontro entre o papa e o líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, conforme antecipou o Estadão em seu portal no final da manhã. A reunião entre os dois deve acontecer neste domingo, durante uma das pausas na agenda oficial de Francisco.

Após a missa, o papa terá um novo encontro com o presidente do país, Raúl Castro, por quem foi recebido nesse sábado no aeroporto, no Palácio da Revolução. Em seguida, o pontífice realizará uma celebração com autoridades da Nunciatura Apostólica de Havana, líderes paroquiais e convidados de Cuba e de outros países.

Mais conteúdo sobre:
Cuba papa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.