Papa reza por vítimas de acidente na Espanha

Em seu primeiro discurso após chegar à cidade espanhola de Valência, onde encerrará o V Encontro Mundial das Famílias, o papa Bento XVI destacou o caráter "insubstituível" que "a família fundada no casamento" tem para a Igreja. A defesa das famílias tradicionais na Espanha contrasta com a vigência no país de uma lei que permite o casamento de homossexuais, sancionada há um ano pelo governo do socialista José Luis Rodríguez Zapatero, que foi receber o papa no aeroporto de Valência.Bento XVI também lembrou a tragédia que matou 42 pessoas na segunda-feira em um acidente de metrô na cidade. Durante o trajeto entre o aeroporto e o centro de Valência, o Pontífice parou na estação Jesús, onde o acidente ocorreu, para rezar pelas vítimas e seus familiares.O papa foi acompanhado por centenas de valencianos, que lhe agradeceram pelo gesto. Entre os presentes estavam 120 pessoas que participaram do resgate dos mortos e feridos no acidente.Na saída do metrô, o papa depositou uma coroa de flores brancas e, ajoelhado, pediu o "descanso eterno e em paz" das vítimas do acidente.Por sua vez, o rei da Espanha defendeu, perante o Pontífice, excluir da "face da terra" do terrorismo e de outras chagas que afetam a humanidade, após defender o papel da família como "núcleo essencial da vida".A agenda do papa, que passará 26 horas na Espanha, prevê neste sábado um encontro privado com Juan Carlos I, outro com Rodríguez Zapatero e uma reunião com os bispos espanhóis.A partir das 18h30 (15h30 de Brasília), o Bispo de Roma assistirá na Cidade das Artes e Ciências, um dos lugares emblemáticos da Valência moderna, à reunião festiva e testemunhal do V Encontro Mundial das Famílias, que terminará amanhã com uma missa solene.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.