Papa roga por reconciliação na Venezuela

O papa João Paulo II manifestou esperança de que o espírito de reconciliação prevaleça na Venezuela, que realizará um referendo sobre o mandato do presidente Hugo Chávez no próximo domingo. O pontífice, que falou em espanhol aos peregrinos numa audiência semanal em sua residência de verão, citou a Venezuela, afirmando que havia pedido a Deus que "ilumine todos os seus cidadãos, concedendo-lhes um futuro aberto ao progresso e à esperança". "Deste modo, rogo para que reine um clima sereno, de paz e reconciliação, para esta querida nação", disse o papa, sem, no entanto, mencionar o referendo de domingo. Também hoje, o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, exortou a todos os venezuelanos a rejeitar a violência e a respeitar o direito dos adversários. "O futuro da Venezuela está nas mãos de seus cidadãos", disse Powell através de um comunicado. "Os Estados Unidos apoiam firmemente seu empenho por fortalecer sua democracia e promover a reconciliação nacional". Segundo Powell, um trabalho eficaz dos observadores internacionais será crucial para a credibilidade do referendo e que o governo de Washington apóia esses observadores: a OEA e o Centro Carter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.