EFE/Claudio Peri
EFE/Claudio Peri

Papa realiza Audiência Geral no Vaticano ao lado de refugiados africanos

Pontífice afirmou que muitos imigrantes são considerados excluídos, mas que o ‘cristão não exclui ninguém’

O Estado de S. Paulo

22 Junho 2016 | 09h53

CIDADE DO VATICANO - Dez refugiados africanos se sentaram junto ao papa Francisco durante a realização da Audiência Geral desta quarta-feira, 22, na Praça de São Pedro.

"Hoje estes meninos me acompanham. Muitos pensam que era melhor que ficassem em suas terras, mas lá sofriam tanto", disse o pontífice ao apontar para os refugiados.

"São nossos refugiados, mas muitos são considerados excluídos. Por favor, são nossos irmãos. O cristão não exclui ninguém, dá lugar a todos, deixemos vir todos".

Francisco dedicou sua catequese ao encontro de Jesus com um leproso, o que serviu para expor a necessidade de rejeitar "todos os preconceitos humanos", e de "não ter medo de chegarmos perto e tocar no pobre e no excluído, porque nele está o próprio Cristo".

O papa se mostrou sempre muito sensível perante a crise de refugiados na Europa e chegou a qualificá-la como a "pior catástrofe humana desde a 2ª Guerra Mundial".

Além de suas visitas a dois lugares símbolos do drama da imigração na Europa, como as ilhas de Lampedusa, na Itália, e de Lesbos, na Grécia, Francisco permitiu alojar famílias sírias no Vaticano.

Nesta sexta-feira, nove sírios, entre eles dois cristãos que estavam em Lesbos, chegaram a Roma por iniciativa do pontífice. O grupo de refugiados se soma aos 12 que viajaram com Francisco após sua visita à ilha grega em abril. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.