Papa visita Assis e pede fim das guerras no Oriente Médio

Para ele, povo já sofreu demais com ´horrores do terrorismo e da violência cega´

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 09h48

O papa Bento XVI fez, neste domingo, 17, um de seus mais fortes apelos pela paz, pedindo o fim de todas a guerras e dizendo que o povo do Oriente Médio já sofreu demais com "os horrores dos combates, do terrorismo e da violência cega". O pontífice fez seu apelo no local do nascimento de Francisco de Assis, o santo que simboliza a paz e é o protetor dos animais e do meio ambiente na Igreja Católica. "Eu considero que é minha obrigação lançar daqui um apelo firme e profundo pelo fim de todos os conflitos armados que mancham a terra de sangue", disse o papa após uma celebração ao ar livre diante da igreja onde o santo foi sepultado em uma cripta. "Que as armas sejam silenciadas e que o ódio dê lugar ao amor em todos os lugares. Que a ofensiva dê lugar ao perdão, e a discórdia, à união", disse durante a visita de um dia a um dos locais do cristianismo mais visitados e venerados. Discursando para milhares de pessoas em uma pequena praça diante da basílica, que foi completamente restaurada após parte do teto cair no terremoto de 1997, o papa disse ouvir o lamento dos que sofrem por causa da guerra. "Nossos pensamentos se voltam em especial à Terra Santa, tão amada por Francisco, ao Iraque, ao Líbano e a todo o Oriente Médio", disse o papa. "A população desses países convive há muito tempo com os horrores dos combates, do terrorismo, da violência cega, da ilusão de que a força pode resolver conflitos, da recusa em ouvir as razões de outras pessoas e garantir-lhes justiça", afirmou. A visita do papa marca o 800º aniversário do que é conhecido como a conversão de São Francisco, morto em 1126 e declarado santo dois anos mais tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.