Papandreou diz que não renunciará se não houver acordo

O primeiro-ministro grego, George Papandreou, disse que está pronto para deixar o poder neste domingo, se chegar a um acordo com o principal partido de oposição do país, o Nova Democracia, para a formação de um governo de coalizão. Ele acrescentou, no entanto, que não renunciará caso os dois não cheguem a um acordo.

ANGELO IKEDA, Agência Estado

06 de novembro de 2011 | 19h43

Em comentários ao seu gabinete, Papandreou disse que o novo governo deve afirmar seu compromisso com as condições estabelecidas pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para a liberação de pacotes de ajuda ao país.

"Entregarei o poder para o próximo governo, se houver um acordo. Espero que isso aconteça logo. Quando digo logo, quero dizer hoje, não amanhã", disse Papandreou, de acordo com transcrições de seus comentários.

O gabinete grego realizou uma reunião de emergência hoje, para discutir a formação de um governo de coalizão após uma semana conturbada, que culminou na votação de uma moção de confiança no sábado.

Papandreou sobreviveu à votação, mas anunciou ao seu gabinete que irá renunciar e preparar o terreno para um governo de coalizão. O novo governo terá de aprovar um novo empréstimo, de 130 bilhões de euros, aprovado por líderes europeus no final do mês passado.

Papandreou e o líder do Nova Democracia, Antonis Samaras, estão reunidos com o presidente do país, Karolos Papoulias neste momento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciacriseUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.