Papon, colaborador francês do nazismo, morre aos 96

Maurice Papon, único oficial francês nazista a ser condenado por seu papel na deportação de judeus durante a Segunda Guerra Mundial, morreu neste sábado aos 96 anos, afirmaram fontes da polícia. Político de sucesso no pós-guerra que se tornou ministro antes de ser preso, Papon passou por cirurgia no coração na terça-feira e morreu neste sábado em uma clínica privada perto de Paris. Papon foi sentenciado a 10 anos de prisão em 1998 por cumplicidade em crimes contra a humanidade. Ele fugiu para a Suíça enquanto apelava contra a sentença, mas foi detido pela polícia suíça e entregue às autoridades francesas. Ele foi preso em 1999 antes de ser solto em setembro de 2002 por problemas de saúde. O julgamento de Papon confrontou a França com a realidade de sua colaboração com o nazismo, uma página da história que os franceses rapidamente viraram depois da guerra e que começou a considerar apenas décadas depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.