T. mughal/EFE
T. mughal/EFE

Paquistanesa baleada pelo Taleban é transferida para hospital do Exército

Malala Yousufzai, de 14 anos, ficou inconsciente e em estado crítico depois de ser baleada na cabeça e no pescoço

11 de outubro de 2012 | 16h25

PESHAWAR - Uma estudante paquistanesa que está entre a vida e a morte depois de ser baleada por pistoleiros do Taleban foi transferida na quinta-feira para um hospital especializado na cidade de Rawalpindi, guarnecida pelo Exército. Ela estava antes em um hospital de uma província que é reduto de militantes.

Veja também

linkTransferida de hospital, menina blogueira faz Paquistão repensar relação com Talebã

linkMenina paquistanesa baleada pelo Taliban era ameaçada há anos

linkMenina que enfrentou o Talebã é baleada e causa fúria dentro e fora do Paquistão

Malala Yousufzai, de 14 anos, ficou inconsciente e em estado crítico depois de ser baleada na cabeça e no pescoço enquanto saía da escola na terça-feira, mas os médicos afirmaram que ela mexeu os braços e as pernas um pouco na noite passada.

Cirurgiões paquistaneses removeram uma bala na quarta-feira. Yousufzai foi atacada pelo Taleban por se manifestar contra os militantes e por promover a educação de meninas.

A coragem dela a transformou em uma heroína nacional. O ataque tem sido condenado por líderes mundiais e por muitos paquistaneses.

Yousufzai começou a se manifestar contra o Taleban paquistanês quando tinha apenas 11 anos, quando o governo cedeu o controle do Vale do Swat, onde ela mora, para os militantes.

O pai dela, Ziauddin Yousufzai, que dirige uma escola para meninas, disse que a filha recebeu ameaças durante anos e que ela acreditava que o trabalho que fazia pela comunidade era a sua melhor proteção.

Um correspondente da Reuters viu quando ela foi transferida de um hospital na capital regional de Peshawar para o Instituto de Cardiologia das Forças Armadas em Rawalpindi.

"Rezem por ela", disse o tio da garota Faiz Mohammad, antes de a ambulância deixar o hospital.

Com Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOGAROTABALEADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.