Paquistaneses borram outdoors com imagens de mulheres

Entusiasmados com a adoção da sharia (lei islâmica) em uma província paquistanesa fronteiriça ao Afeganistão, ativistas da ala juvenil de um partido fundamentalista comemoraram hoje - a sexta-feira é o dia sagrado da semana muçulmana - borrando outdoors e cartazes que exibissem imagens de mulheres. Foram cerca de cem militantes do Shahab-e-Mili que percorreram a cidade de Multan, cerca de 400 km ao sul da capital, Islamabad, passando tinta preta sobre os retratos de mulheres expostos nas ruas.Hamid ul-Haq, recém-eleito deputado no Parlamento nacional pelo movimento fundamentalista MMA, defendeu o ato. "O MMA recebeu um mandato popular para implementar a sharia na Província da Fronteira Noroeste", declarou. O parlamentar não fez segredo sobre a semelhança entre essa campanha de vandalismo e a rígida moral imposta no Afeganistão pela milícia extremista Taleban, cujo governo foi deposto pelos EUA: "O sangue derramado pelo Taleban está frutificando."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.