Paquistaneses protestam contra militantes da Al-Qaeda

Centenas de religiosos "linha-dura" paquistaneses, gritando "Jihad", protestaram nesta quarta-feira contra um suposto esconderijo da Al-Qaeda e acusaram a organização de matar trabalhadores inocentes.Cerca de mil pessoas associadas ao grupo religioso Jamiat Ulema-e-Islam (JUI) marcharam pela cidade de Tank, que fica a 160 quilômetros de Waziristan, que foi atacada na quarta-feira pela Al-Qaeda."Eles mataram trabalhadores inocentes. Não havia centro de treinamentos para estrangeiros", afirmou o líder do movimento, Maulana Tahir.Ativistas da JUI, um grupo islâmico pró-Taleban diziam gritavam "morte ao Musharraf", se referindo ao líder militar paquistanês, Gen. Pervez Musharraf.Em outro local da cidade, cerca de 200 estudantes queimaram pneus e bloquearam a estrada que liga Tank a Wana, principal cidade no sul de Waziristan.A maioria dos comércios foram fechados durante o protesto. A polícia monitorou as ruas, mas não houve violência.O Paquistão é um aliado estratégico dos Estados Unidos na luta contra o terrorismo e tem sido pressionado pelos americanos para conter ataques feitos pelo Taleban e Al-Qaeda no Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.