Paquistaneses protestam nas ruas contra morte de Benazir

Situação é mais crítica em Karachi, cidade da ex-premiê oposicionista assassinada nesta quinta-feira em ataque

REUTERS

27 de dezembro de 2007 | 15h20

Manifestantes revoltados com o assassinato da líder da oposição no Paquistão Benazir Bhutto saíram às ruas de cidades paquistanesas nesta quinta-feira, 27, do Himalaia à costa sul. Como era previsto, os protestos foram mais fortes na província de Sindh, onde Benazir nasceu, e sua capital, Karachi.   Veja também: Musharraf culpa terroristas por morte Bush diz que assassinato foi 'ato covarde'   Benazir, uma história de dinastia política Cronologia: A trajetória de Benazir Assista ao vídeo  Blog do Guterman: Guerra civil à vista  "A polícia foi colocada em alerta vermelho em Sindh", disse uma autoridade policial. Aumentamos a mobilização e estamos patrulhando todas as cidades, já que há problemas em quase todo lugar." Forças paramilitares foram também postas em alerta vermelho em outras partes do país. Havia informações de que a situação estava se agravando em Karachi, onde milhares de pessoas protestavam. Pelo menos três bancos, um prédio do governo e uma agência do correio foram incendiados, segundo uma testemunha. Em muitas estradas foram montadas barricadas com pneus em chamas, e havia relatos de tiros e pedras sendo lançadas. A maioria das lojas e estabelecimentos comerciais da cidade fechou. Na cidade de Hiderabad, no centro de Sindh, pelo menos 20 veículos foram incendiados. Os manifestantes bloquearam estradas e protestaram contra o presidente Pervez Musharraf em Muzaffarabad, capital da Caxemira paquistanesa, no norte do país. A polícia afirmou ter recebido ordens de bloquear a estrada principal entre as províncias de Punjab e Sindh, aparentemente para impedir a movimentação de manifestantes. Também foram registrados quebra-quebras na cidade de Multan, no sudeste do país, embora houvesse poucos detalhes. Em Lahore, no leste, trabalhadores do partido de Benazir Bhutto colocaram fogo em três ônibus e danificaram vários outros carros, de acordo com a polícia. "A situação não é boa no interior de Sindh. Um grande número de pessoas saiu para as estradas em muitas cidades para protestar", disse o oficial de polícia Fayyaz Leghari.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOPROTESTOSBHUTTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.