AP
AP

Paquistaneses relembram a noite em que receberam Bin Laden para jantar

Moradores de região tribal do país relatam como líder da rede Al-Qaeda chegou de surpresa

M Ilyas Khan, BBC

02 Maio 2012 | 16h48

ISLAMABAD, PAQUISTÃO - Uma dupla de paquistaneses, moradores da região tribal do Waziristão, noroeste do país, relembrou em entrevista à BBC a noite em que recebeu o líder da rede extremista Al-Qaeda, Osama bin Laden para um jantar. Os dois deram o depoimento sob a condição de não ter seus nomes revelados. O jantar ocorreu um ano antes da morte de Bin Laden, e os preparativos foram cercados de mistério.

 

Veja também:

linkPaquistaneses protestam contra assassinato de Bin Laden

tabela ESPECIAL: A morte de Osama bin Laden

Os homens receberam a notícia da visita semanas antes, por alguém que eles descrevem apenas como uma "pessoa importante". Foi marcado apenas um jantar para um convidado, cuja identidade também não foi revelada. A hora exata da chegada do convidado misterioso foi revelada apenas momentos antes. Por volta das 23h, os paquistaneses ouviram o barulho de veículos, jipes 4X4, se aproximando da casa.

"Uma dezena de jipes grandes entrou no complexo. Eles pareciam vir de várias direções", contou um deles, um idoso da família. Um dos jipes estacionou perto da varanda da casa e, de seu banco de trás surgiu um homem alto e de aparência frágil, usando uma túnica longa e um turbante branco.

Os homens não podiam acreditar, mas em frente deles estava ninguém menos do que Osama bin Laden, o homem mais procurado do mundo. "Ficamos pasmos. Ele era a última pessoa que esperávamos que aparecesse em nossa porta", afirmou um dos idosos. Bin Laden ficou perto do veículo por algum tempo. Um dos idosos disse que beijou a mão do terrorista e a pressionou contra os olhos, em um gesto de reverência.

O ex-líder da Al-Qaeda então colocou a mão no ombro de um de seus assistentes e entrou na sala preparada para o jantar. Os moradores do vilarejo não o seguiram, apenas alguns de seus homens permaneceram com ele.

Um ano depois

O episódio ocorreu um ano antes de Bin Laden ser morto por forças especiais dos Estados Unidos na cidade de Abbottabad, a cerca de 300 quilômetros a nordeste do complexo na área tribal onde ocorreu o jantar. O choque causado pela morte do ex-líder da Al-Qaeda levou um dos idosos que o receberam naquela noite em 2010 a começar a contar para amigos mais próximos sobre a visita inesperada e, desta forma, o episódio chegou até a BBC.

Depois de muita persuasão, a reportagem da BBC conseguiu conversar com dois dos homens que se encontraram com Bin Laden naquela noite, sempre com a condição de manter o anonimato dos envolvidos. Eles contam que, durante as três horas que Bin Laden passou com eles, eles fizeram orações e descansaram. No cardápio daquela noite foram servidos curry de frango, arroz e cordeiro.

Durante todo o tempo em que durou o jantar, ninguém podia sair de dentro do complexo ou entrar no local. Homens armados se posicionaram no portão principal, nos muros e no telhado. O clima de tensão aumentou entre os homens armados quando um anfitrião pediu permissão para que seu pai de 85 anos se encontrasse com Bin Laden. "Considerem isto como seu último desejo", pediu o homem. A mensagem foi passada para Bin Laden, que concordou em se encontrar com o patriarca da família.

Quatro homens armados escoltaram o anfitrião e foram buscar o pai. O idoso só ficou sabendo da presença de Bin Laden quando o grupo já estava de volta, dentro no complexo. O patriarca ficou com Bin Laden por apenas dez minutos, fazendo orações e elogios, aconselhando o ex-líder da Al-Qaeda sobre táticas de guerra tribais, tudo no idioma pashtu, o qual Bin Laden aparentemente não compreendia.

Confusão

Depois do jantar, Bin Laden e seus homens foram embora da mesma forma que chegaram, em uma pequena confusão gerada pelo comboio de jipes, cada um indo para uma direção diferente, dando aos moradores do complexo pouca chance de determinar qual foi o caminho pelo qual o ex-líder da Al-Qaeda se afastou.

E, enquanto o relato sobre o encontro e o jantar com Bin Laden foi detalhado, os paquistaneses não quiseram revelar quem foi o "homem importante" que pediu para que eles recebessem o ex-líder da Al-Qaeda. Eles também se mostraram relutantes em revelar quem mais fazia parte da comitiva.

Depois da morte de Bin Laden em maio de 2011, autoridades paquistanesas e americanas insistiam que o ex-líder da Al-Qaeda teve uma vida de recolhimento quase total nos últimos cinco anos, nunca saindo do complexo onde vivia em Abottabad. Mas, em vista do depoimento dos dois paquistaneses, isto não parece ser verdade e muitas outras questões ainda permanecem.

A área onde ocorreu o jantar em 2010 fica no meio de uma região tribal que era, e até certa medida ainda é, o ponto onde se concentram várias operações militares contra militantes. Soldados baseados nesta região naquela época estavam em alerta e tinham estabelecido dezenas de postos de checagem para monitorar viajantes em rotas regulares e também em caminhos pouco usados.

A questão é como a comitiva de Bin Laden passou por estes postos sem ser detida. As autoridades do Paquistão sempre negaram que sabiam do paradeiro de Bin Laden ou que estavam dando apoio de alguma forma ao ex-líder da Al-Qaeda. E, ainda restam as últimas questões: quem planejou o itinerário, qual o propósito desta visita e, acima de tudo, com qual frequência Bin Laden participava destes jantares surpresa.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.