Paquistão admite ceder posições sobre a Caxemira

O presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, afirmou que está disposto a flexibilizar suas posições sobre a Caxemira se a Índia tiver a mesma postura, e descartou a possibilidade de independência do território.O líder paquistanês deu uma entrevista na segunda-feira à noite à televisão indiana "NDTV", na qual admitiu a possibilidade de uma solução para a polêmica da Caxemira, razão de duas guerras entre os dois países.Atualmente a Caxemira é dividida por uma Linha de Controle aceita por Índia e Paquistão em 1948 como fronteira provisória. Os dois países, porém, reivindicam soberania sobre a totalidade do território."Por enquanto estamos na mesma postura de 1948. Mas ambos devemos estar preparados para deixar de lado tudo o que já foi dito", afirmou Musharraf na entrevista, transcrita parcialmente no site da "NDTV".Ele se disse disposto a flexibilizar suas reivindicações sobre a Caxemira se houver um acordo de paz. "Nunca se chega a um compromisso se ninguém recuar", comentou."O compromisso exige que ambas as partes recuem. Se um de nós não aceitar isso, não chegaremos a uma solução", acrescentou.O chefe do governo paquistanês assegurou que estaria disposto a renunciar a parte de suas reivindicações para obter a solução de quatro pontos, que exige que a Caxemira mantenha suas fronteiras atuais mas a população possa se movimentar livremente no território.Pela proposta, a região teria autonomia, mas não a independência; as tropas se retirariam progressivamente; e seria formado um mecanismo de supervisão com representantes da Índia, Paquistão e da própria Caxemira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.