Paquistão ataca reduto do Taleban na fronteira com Afeganistão

Ofensiva contra militantes em região montanhosa prossegue pelo 3º dia consecutivo; número de mortes é alto

BBC Brasil, BBC

19 de outubro de 2009 | 06h00

O Exército paquistanês está atacando nesta segunda-feira, 19, postos da Al-Qaeda e de militantes do Taleban pelo terceiro dia seguido próximo à fronteira com o Afeganistão. O Exército estabeleceu cinco bases temporárias na região montanhosa na região do Waziristão do Sul para tentar isolar o principal reduto do Taleban.

 

Não há números precisos sobre a quantidade de vítimas no confronto, mas ambos os lados dizem que o número de mortes é alto. O Exército disse no domingo que 60 militantes e 5 soldados foram mortos nas primeiras 24 horas dessa aguardada ofensiva, mas não houve confirmação independente dessas cifras 

Os militantes do Taleban estão usando artilharia pesada contra o Exército. Um porta-voz do grupo afirma que dezenas de soldados morreram e que nenhum militante foi morto, mas a informação não pode ser confirmada por fontes independentes.

Progresso lento

Os confrontos entre as forças de segurança paquistanesas e o Taleban se estenderam por toda a noite de domingo, 18. Mas o Exército paquistanês parou de tentar entrar no reduto taleban e está procurando se consolidar na periferia, estabelecendo diversos postos de checagem.

O porta-voz do Exército, o general Athar Abbas, disse à BBC que seus soldados estão encontrando menos resistência do que o esperado, mas admitiu que o progresso das tropas na região é lento, devido ao terreno montanhoso. Ele disse que há muitas minas e explosivos improvisados plantados no solo.

O Exército também controla a região montanhosa de Ingalmall, que dá acesso ao Afeganistão, o que afeta a principal rota de suprimento dos militantes. Pelo menos 20 mil pessoas deixaram a região na última semana para o distrito de Dera Ismail Khan. Segundo o correspondente da BBC no distrito, Aleem Maqbool, a área não está preparada para receber as pessoas. Muitos estão buscando ajuda de familiares e conhecidos.

Segurança reforçada

Na capital paquistanesa Islamabad, o governo federal fechou todas as escolas e universidades esta semana, para evitar atentados. Há um temor de que militantes tentem capturar reféns para pressionar o governo a interromper a ação no Waziristão do Sul.

A segurança foi reforçada em diversas partes do Paquistão. A polícia em Islamabad está fazendo buscas a postos religiosos e em áreas rurais.

As regiões montanhosas do Waziristão do Sul e do Norte são consideradas um reduto de insurgentes do Taleban, que vem atacando tanto cidades do Paquistão como do Afeganistão. O Waziristão do Sul é considerado a mais importante base de militantes islâmicos fora do Afeganistão.

O Exército do Paquistão está lutando contra redutos do Taleban na região desde junho, quando o governador da província paquistanesa da Fronteira Noroeste anunciou uma ofensiva no Waziristão do Sul. O governo paquistanês vem sendo pressionado pelos Estados Unidos para combater os militantes.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.