Paquistão atacou insurgentes na fronteira com o Afeganistão

O Exército do Paquistão atacou caminhões de suprimentos que seriam usados por supostos insurgentes para um ataque através da fronteira no vizinho Afeganistão, informou nesta quinta um porta-voz militar. O ataque aconteceu no outro lado da fronteira onde as forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) supostamente mataram ou feriram 130 militantes. Este foi o primeiro ataque divulgado do Exército paquistanês na região tribal de Waziristão do Norte, desde a assinatura de um polêmico acordo de paz, em setembro, entre o governo e militantes pró-Taleban, o qual, segundo os críticos, forneceu um santuário para os rebeldes.O Exército paquistanês, agindo com base em informações fornecidas pela coalizão liderada pelos Estados Unidos no Afeganistão, usou morteiros e artilharia no ataque realizado ontem à noite na localidade de Gurkev, próximo à fronteira com o Afeganistão. Segundo o porta-voz da força, major-general Shaukat Sultan, helicópteros de ataque chegaram a decolar, mas devido ao mau tempo os aparelhos acabaram não sendo utilizados no ataque.Sultan disse também que não ficou imediatamente claro se qualquer militante foi morto no ataque, mas que os alvos, que incluíam vários caminhões de suplementos usados pelos militantes, foram destruídos.Forças paquistanesas que inspecionaram o local do ataque na manhã de hoje reportarem a presença de armas pesadas, incluindo foguetes e lançadores de foguetes, mas nenhum corpo.Números do ataqueSegundo o tenente-coronel Paul Fitzpatrick, porta-voz dos militares americanos no Afeganistão, 130 militantes foram mortos ou gravemente feridos na província de Paktika, do lado afegão da fronteira, ontem à noite e hoje de manhã. Um comunicado anterior da Otan falava em 150 insurgentes mortos.De acordo com Fitzpatrick, as forças da Otan constantemente trocam informações com os militares paquistaneses. "Eles (os militares) voltaram e disseram que atacaram, mas eu não possuo nenhuma informação para confirmar tal afirmação", disse.Ainda hoje, na província afegã de Helmand, um ataque aéreo perpetrado pela Otan contra um suposto complexo do Taleban matou 16 supostos militantes e 13 pessoas que haviam sido seqüestradas ou capturadas e que estavam sendo mantidas como reféns pela milícia, informou o chefe de polícia local Ghulam Nabi Malakhail. Uma casa civil ficou danificada e várias pessoas ficaram feridas no ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.