Paquistão autoriza Taleban a aplicar lei islâmica

Porta-voz insurgente afirma que grupo abandonará as armas após a aprovação da sharia

Efe,

14 de abril de 2009 | 03h19

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, assinou o acordo de paz que as autoridades negociaram com a insurgência taleban no vale do Swat, informa nesta terça-feira, 14, a imprensa local. O acordo, válido para essa região situada no norte do Paquistão, representa a aplicação da sharia (lei islâmica).

 

O chefe de Estado ratificou o pacto na noite de segunda-feira, pouco depois de o Parlamento aprovar uma resolução que apoia a entrada em vigor do acordo. O governo da Província da Fronteira do Noroeste assinou em fevereiro passado um pacto com o grupo taleban local para a aplicação da lei islâmica na divisão de Malakand, que inclui o Swat, sob a condição de conseguir a paz no vale.

 

O porta-voz taleban Amir Izzat Khan, citado pelo canal de TV privado Dawn, disse que após a aprovação do pacto seu grupo largará as armas e se conseguirá a paz no Swat.

 

Zardari tinha evitado até agora ratificar o pacto, que está sendo duramente criticado dentro do Paquistão e pela comunidade internacional. A ratificação definitiva do acordo chega no momento em que os taleban do Swat estenderam sua influência a outras áreas, especialmente à demarcação de Buner, situada no sul do vale e a apenas 100 quilômetros de Islamabad.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoacordo de paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.