Paquistão avisa que não aceitará tropas americanas no país

O governo paquistanês afirmou que não deixará tropas americanas entrarem no país, um dia após o presidente dos EUA, George Bush, dizer que ordenaria uma missão militar no Paquistão caso fosse descoberta a presença de Osama bin Laden na região.Bush disse à rede de televisão CNN que autorizaria uma missão militar no Paquistão se a inteligência indicasse que o mentor do 11 de Setembro, Bin Laden, ou outros membros importantes da Al-Qaeda estivessem se escondendo no país. "Absolutamente", disse Bush após ser perguntado se ele ordenaria uma ação militar dentro do Paquistão, apesar de ser uma nação soberana. "Nós tomaríamos as medidas necessárias para trazê-los à justiça". A porta-voz do ministro do Exterior do Paquistão, Tasnim Aslam, recusou-se a responder diretamente às considerações de Bush, mas reiterou a recente rejeição do presidente, general Pervez Musharraf, à presença de qualquer força militar estrangeira no país."Qualquer ação terrorista dentro do território do Paquistão será resolvida pelo Paquistão", disse Aslam. "Ele (Musharraf) disse que não irá permitir que nenhuma tropa estrangeira entre em nosso território." A localização de Bin Laden é desconhecida, mas acredita-se que ele esteja escondido em algum ponto da fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão. Bush tem um encontro marcado com o presidente Musharraf, na sexta-feira, na Casa Branca, e novamente na semana que vem. Em coletiva de imprensa na semana passada, Bush disse que não poderia mandar milhares de militares ao Paquistão para procurar Bin Laden sem um convite do governo de Musharraf. "O Paquistão é uma nação soberana", disse Bush na ocasião. O presidente americano descartou ainda as sugestões de que o Paquistão não tenha feito o suficiente para calar os líderes terroristas. "Vejo o presidente Musharraf como alguém que quer levar a Al-Qaeda à justiça", disse Bush. "Não há dúvidas de que há um tipo de território hostil nas remotas regiões do Paquistão, o que torna mais fácil alguém se esconder". O Paquistão se tornou um dos principais aliados da guerra ao terror dos EUA após o 11 de Setembro, encerrando o seu apoio ao regime Taleban que abrigou Bin Laden no Afeganistão e entregando mais de 700 militantes da Al-Qaeda às autoridades americanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.