Paquistão cede ao Taleban e impõe lei islâmica em área tribal

Vale do Swat, na fronteira afegã, é usado como refúgio por militantes islâmicos e alvo de ataques americanos

Agências internacionais,

13 de abril de 2009 | 15h42

O presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, assinou nesta segunda-feira, 13, um decreto que impõe a lei islâmica - a Sharia - no problemático vale do Swat, região fronteiriça com o Afeganistão povoada por militantes islâmicos.

Veja também:

link Bombardeio noturno da Otan mata seis civis, dizem afegãos

link Líder do Sudão elogia proposta de Obama ao mundo islâmico

link Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão especial

Em troca, o governo laico de Zardari espera conseguir uma trégua com o Taleban, que tem atacado forças de segurança paquistanesas. Militantes egressos do Afeganistão se refugiam nesta parte do Paquistão. Por causa disso, a região também tem sido alvo de ataques aéreos americanos.

A decisão de Zardari foi apoiada unanimemente pelo Congresso. Órgãos de direitos humanos e diplomatas ocidentais alertaram que a decisão pode transformar o vale em um santuário de radicais islâmicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.