Paquistão concorda em atacar rebeldes, diz Afeganistão

O Paquistão concordou em atacar esconderijos de combatentes do Taleban e de outros insurgentes que ataquem o vizinho Afeganistão e se recusem a participar das negociações de paz, disseram hoje autoridades afegãs.

AE, Agência Estado

12 de junho de 2011 | 13h39

Acredita-se que muitos dos principais líderes do Taleban estariam se escondendo no Paquistão, e a ameaça de ataques militares pode ser usada para pressionar combatentes a negociar. Entretanto, até onde o Paquistão irá no combate contra o Taleban ainda é uma dúvida, e o governo paquistanês não confirmou imediatamente o acordo.

Combatentes do Taleban e de outros grupos usam há tempos as regiões tribais do Paquistão para lançar ataques contra tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, um ponto de contenção entre os dois países.

"A mensagem é que as pessoas que querem participar do processo de paz devem ter o caminho liberado para elas", disse Mohammad Masoom Stanekzai, secretário de um conselho de paz organizado pelo presidente do Afeganistão. "Para aqueles que acreditam que a guerra é a única maneira de atingir seus objetivos, não deve existir um esconderijo para que eles continuem com sua guerra."

Stanekzai e outras autoridades afegãs falaram com jornalistas hoje depois de o presidente afegão, Hamid Karzai, ter voltado de uma visita à capital paquistanesa. Um comunicado de quatro páginas assinado por autoridades paquistanesas e afegãs, com data de ontem, não dava detalhes sobre os ataques propostos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.