Paquistão construirá barreira em fronteira com Afeganistão

O Paquistão decidiu bloquear 35 quilômetros de sua fronteira com o Afeganistão como parte de um plano que visa impedir que combatentes de guerra entrem no país, disse o presidente paquistanês, Pervez Musharraf, nesta sexta-feira.A primeira fase seria a construção de uma barreira em sete ou oito lugares na região norte da fronteira, e segundo Musharraf, o projeto pode levar alguns meses para ser concluído. "A decisão já foi tomada e as ações já estão sendo realizadas neste momento".Musharraf considerou a idéia de construir uma barreira também ao leste com proteção com minas terrestres para evitar que combatentes do Taleban e da Al-Qaeda usem a fronteira como base de operações contra os afegãos e tropas internacionais.Falando aos jornalistas, Musharraf afirmou que não utilizará a proteção com minas na primeira fase do projeto para que não haja preocupação da comunidade internacional.No entanto, o presidente paquistanês revelou também a segunda fase do plano, que consiste em construir uma barreira na parte sul da fronteira, com proteção feita por minas terrestres."Ninguém tem o direito de criticar se não aparecer com uma solução alternativa. Senão não há outra maneira, faremos do nosso jeito", disse Musharraf.Musharraf reforçou as reclamações de que o Paquistão está sendo um bode expiatório de militares do Taleban. Segundo o presidente, as tropas americanas e da OTAN também dividem a responsabilidade de proteger a fronteira."Uma percepção equivocada está sendo criada de que a ressurreição do Taleban vem do Paquistão. Isso é completamente errado", disse Musharraf. O presidente negou com veemência a acusação de que o governo paquistanês apóia organizações terroristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.