Paquistão contesta acusações dos EUA

O chefe do Exército do Paquistão, general Ashfaq Pervez Kayani, negou as afirmações norte-americanas de que a agência de espionagem do país ajude uma poderosa facção militante no Afeganistão.

AE, Agência Estado

23 Setembro 2011 | 13h09

Kayani disse em comunicado nesta sexta-feira que as acusações feitas pelo chefe de Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, almirante Mike Mullen, foram "infelizes" e "sem bases factuais".

O comunicado de Kayani sugere que o Paquistão e outros países da região estiveram em contato com a rede Haqqani, supostamente para atraí-los para o processo de paz e diz que "destacar o Paquistão é injusto".

A declaração sugere que o Paquistão não tem intenção de atender imediatamente os pedidos norte-americanos para que ataque a rede Haqqani. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Paquistão EUA política ISI espionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.