Paquistão critica EUA por apoio à Índia no Conselho de Segurança da ONU

Aliado crucial na luta contra a Al-Qaeda, Islamabad expressa 'preocupação e forte desapontamento'

AE, Agência Estado

10 de novembro de 2010 | 11h27

O governo do Paquistão expressou hoje "séria preocupação e forte desapontamento" com o apoio dos Estados Unidos para que a Índia tenha uma cadeira permanente no Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU). O recado foi expresso em um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

Veja também:

documento Artigo: Respaldo americano não é desfeita ao Brasil

lista Entrevista: 'Retorno do tema à agenda é positivo'

 "É incompreensível que os EUA tenham dado apoio à Índia, cujas credenciais com respeito à observância dos princípios da carta da ONU e à lei internacional são no máximo variáveis", afirma o texto.

Ao Parlamento indiano ontem, o presidente dos EUA, Barack Obama, disse esperar uma reforma do Conselho de Segurança com a inclusão da Índia como membro permanente. A declaração foi bastante aplaudida pelos congressistas locais.

Islamabad e Washington são aliados na luta contra o terrorismo. A relação, porém, apresenta rachas, com funcionários norte-americanos, por exemplo, pedindo mais ações dos paquistaneses para combater o terror. Já o Paquistão e a Índia, dois países com armas nucleares, são rivais históricos, que já travaram três guerras.

O Brasil, como a Índia, deseja ocupar uma vaga permanente no Conselho de Segurança. Atualmente, os cinco membros permanentes com poder de veto são EUA, Rússia, Grã-Bretanha, China e França. As informações são da Dow Jones.

Leia ainda:

linkBrasil e Índia não disputam mesma vaga, diz Amorim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.