Paquistão decide demolir escola dentro de complexo militante

Autoridades paquistanesas estão demolindo uma madrasa (escola religiosa) dentro do complexo da Mesquita Vermelha, em Islamabad, onde dezenas de pessoas foram mortas após uma operação do Exército no começo do mês, informaram nesta quarta-feira oficiais. No dia 10, unidades do Exército paquistanês invadiram a mesquita e o seminário de mulheres Jamia Hafsa depois que seguidores de clérigos radicais recusaram-se a deixar o local. Segundo as autoridades, o governo decidiu demolir a madrasa de quatro andares porque sua estrutura ficou bastante abalada pelos confrontos entre as forças de segurança e os militantes. "Estamos demolindo porque, tecnicamente, é muito perigoso mantê-la", disse Kamran Lashari, autoridade municipal. "A demolição será finalizada em três a quatro dias." Ele afirmou também que o governo não tem planos de demolir a mesquita, que está sendo preparada para reabertura na sexta-feira. A Mesquita Vermelha era conhecida como um reduto de radicais islâmicos, mas virou notícia este ano quando estudantes vestidas com burcas e seus colegas lançaram uma agressiva campanha para impor uma cultura ao estilo da milícia Taliban em Islamabad. (Reportagem de Zeeshan Haider)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.