Paquistão diz que ataques dos EUA 'ajudam os terroristas'

Chancelaria afirma que ação americana sem permissão aumenta simpatia por insurgentes; ataque suicida mata 15

Agências internacionais,

10 de outubro de 2008 | 12h08

Os ataques norte-americanos com mísseis em supostos esconderijos de militantes no noroeste do Paquistão "ajudam os terroristas". A afirmação foi feita nesta sexta-feira, 10, pelo Ministério das Relações Exteriores paquistanês no mesmo dia em que um atentado suicida durante um encontro de líderes tribais contrários ao Taleban deixou pelo menos 15 mortos. A região na qual se concentram os ataques é bastante instável e próxima do Afeganistão. A Al-Qaeda e o Taleban mantêm bases nas regiões tribais semi-autônomas do Paquistão, de onde planejam incursões contra as forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e dos Estados Unidos no território afegão Suspeita-se que os EUA tenham realizado pelo menos 11 operações com mísseis no território paquistanês desde o meio de agosto, que deixaram mais de 100 mortos, a maioria deles supostos militantes. O Paquistão qualifica essas ações como uma violação à soberania nacional. Para o governo desse país, elas apenas promovem a simpatia da população local pelos militantes. "Nós queremos que eles (Estados Unidos) percebam que esses ataques estão desestabilizando a situação, e não estão ajudando eles nem o Paquistão", afirmou o porta-voz do ministério Mohammed Sadiq. "Eles estão ajudando os terroristas". A última dessas investidas ocorreu no Waziristão do Norte e matou nove pessoas, na quinta-feira. Autoridades ainda tentam definir a nacionalidade e a identidade das vítimas. Pelo menos 15 pessoas morreram e 50 ficaram feridas em um ataque suicida cometido contra uma assembléia tribal perto da fronteira com o Afeganistão, informou uma fonte oficial. Um dia antes, forças pró-governo destruíram dois esconderijos de militantes no distrito de Orakzai, uma das sete regiões tribais semi-autônomas do país. Tanto o Taleban como a Al-Qaeda mantêm bases nessa região.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.