Paquistão e Afeganistão não chegam a acordo sobre Bin Laden

O regime Taleban disse hoje que está ?otimista? com a primeira fase de negociações com a missão paquistanesa que tenta convencer o Afeganistão a entregar Osama Bin Laden, principal suspeito dos atentados contra os Estados Unidos. "As conversas foram positivas, mas não posso dar mais detalhes", disse um porta-voz do Taleban à uma agência de notícias sediada no Paquistão. A reunião foi realizada na cidade afegã de Kandahar, onde fica o quartel general do líder do Taleban, mulá Mohamed Omar.O porta-voz do Taleban diz que ambas as partes estão "em total acordo sobre a necessidade de pôr fim ao atual mal-entendido entre Afeganistão e Estados Unidos?, informou hoje a agência de notícias Efe. "Temos 60% de esperança de que a situação se normalize", afirmou o porta-voz, que disse também que a missão paquistanesa saiu de Kandahar com destino à capital afegã.As informações, entretanto, são contraditórias. Ainda segundo a agência Efe, um diário eletrônico russo teria informado que o Afeganistão rechaçou o ultimato de 72 horas dado pelos Estados Unidos para entregar Bin Laden. Segundo o jornal russo, que cita fontes paquistanesas, a reunião terminou num impasse e não há mais diálogo. Ainda restam 65 horas do prazo fixado pelos Estados Unidos.O Paquistão fechou hoje quase a totalidade de suas fronteiras com o Afeganistão com o objetivo de barrar a entrada de alimentos no país vizinho. Também estão proibidas as entradas de afegãos que estão tentando fugir do país com medo de um possível ataque norte-americano. O fechamento das fronteiras foi um dos pedidos dos norte-americanos ao governo paquistanês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.