Paquistão é o país mais perigoso para jornalistas

O Paquistão permaneceu em 2011 o país mais mortífero para os jornalistas, pelo segundo ano consecutivo, informou nesta terça-feira o Comitê de Proteção aos Jornalistas, entidade com sede em Nova York. O Comitê informou em relatório de fim de ano que sete jornalistas foram assassinados no Paquistão neste ano e 43 ao redor do mundo.

AE, Agência Estado

20 de dezembro de 2011 | 14h58

A Líbia e o Iraque registraram cada um cinco mortes e três jornalistas foram mortos no México. Em 2010, 44 jornalistas foram assassinados, menos que os 72 mortos em 2009.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.