Paquistão e talebans usam violência para deter refugiados

Cerca de 1.000 refugiados afegãos conseguiram ingressar, nesta segunda-feira, no Paquistão, passando pelo posto de fronteira de Chamam, apesar das tentativas dos talebans e dos guardas paquistaneses de impedir que eles cruzassem a linha. Os policiais de fronteira, a golpes de bastão e disparos de armas de fogo, conseguiram que cerca de 250 refugiados retrocedessem. Um afegão de 23 anos morreu com um tiro. A vítima não foi identificada. "Os talebans atiraram para cima, enquanto os guardas paquistaneses tentaram empurrar a multidão com bastões. As pessoas responderam com pedradas", afirmou uma testemunha. Os refugiados cruzaram a fronteira, passando por cercas de arames e paus do posto de Chamam, onde o fluxo de afegãos que escapam de seu país aumentou nos últimos dias. "Dezenas de mulheres e crianças estão em situação crítica. Faltam água, comida e remédios", disse um policial paquistanês. O Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) havia solicitado ao Paquistão que abrisse suas fronteiras, mas o governo de Islamabad rechaçou o pedido. Leia o especial

Agencia Estado,

22 Outubro 2001 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.