Paquistão impõe sharia no Vale do Swat

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, cedeu à pressão do Parlamento e assinou ontem um decreto que impõe a lei islâmica - a sharia - no Vale do Swat, região no noroeste do país dominada por militantes do Taleban. O objetivo da medida é tentar obter um acordo de paz com o grupo insurgente, que vem travando uma violenta ofensiva contra o Exército paquistanês.Segundo fontes do partido governista, após a sanção do decreto, o Taleban começará a cooperar com as forças de segurança paquistanesas, além de fechar seus campos de treinamento.A decisão de Zardari foi criticada pelo Ocidente, que afirmou que o acordo pode transformar a região em um santuário de extremistas. O aumento da violência na área e a expansão da influência do Taleban no noroeste do país põem em questão a estabilidade do Paquistão, considerado crucial na estratégia americana que busca estabilizar o Afeganistão. Em fevereiro, o governo local em Swat já havia concordado em implementar a sharia em troca de um cessar-fogo com o grupo insurgente.Zardari chegou a atrasar a assinatura do decreto por causa das críticas que recebeu. O presidente disse que só aprovaria o decreto quando a paz fosse atingida na área. No entanto, a Assembleia Nacional aprovou a resolução de maneira unânime, pressionando Zardari a assiná-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.