Paquistão indicia mais 2 por assassinato de Benazir

Um tribunal paquistanês indiciou hoje mais dois suspeitos de envolvimento no assassinato da primeira-ministra Benazir Bhutto em dezembro de 2007, informou o procurador Zulfikar Ali. A decisão da justiça do Paquistão eleva a sete o total de indiciados.

AE, Agência Estado

05 de novembro de 2011 | 16h48

De acordo com Ali, os dois novos indiciados são oficiais de polícia. Eles são acusados de não terem fornecido segurança adequada a Benazir e de destruírem evidências do atentado que resultou na morte da ex-chefe de governo. Os outros cinco indiciados no caso são integrantes do Taleban paquistanês. Eles voltarão a ser julgados para que possam ir a juízo com os dois novos réus.

Zulfikar Ali disse que um juiz leu as acusações contra os sete durante uma audiência a portas fechadas realizada hoje em Rawalpindi, cidade vizinha de Islamabad onde Benazir foi assassinada.

Benazir foi morta em 27 de dezembro de 2007 em um atentado suicida perpetrado durante um comício político apenas algumas semanas depois de ela ter retornado ao Paquistão depois de ano de autoexílio. Mais 20 pessoas morreram no atentado. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.