Paquistão instalará cerca e minas na fronteira com o Afeganistão

O ministro de Interior paquistanês, Aftab Ahmed Khan Sherpao, anunciou que seu país começará a cercar e instalar minas na fronteira com o Afeganistão em janeiro, após analisar as possíveis reservas da ONU, informou nesta sexta-feira o jornal paquistanês "Dawn".Em entrevista, Sherpao negou que a Convenção de Genebra proíba a instalação de minas no território "se a área for delimitada adequadamente"."Não violaremos nenhuma resolução da ONU. Informaremos à população de ambas as partes da linha sobre a existência das minas e marcaremos a região", assegurou Sherpao."Além disso, estabeleceremos pontos de entrada e saída", acrescentou.A decisão, anunciada nesta terça-feira, supõe a instalação de uma cerca e de minas do lado paquistanês da fronteira, de 2.430 quilômetros.Temendo baixas civis, a ONU criticou o plano do Paquistão, pensado para prevenir a passagem de insurgentes para o Afeganistão, cujo presidente, Hamid Karzai, se mostrou "fortemente contrário à medida" e afirmou que os paquistaneses devem "destruir os santuários" dos terroristas em vez de isolar a fronteira.Sherpao criticou a reação ao plano dos dirigentes do país vizinho, a quem acusou de praticar um "jogo de culpas" em vez de "apreciar os esforços do Paquistão" para pôr fim à infiltração de terroristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.