Paquistão interroga cientistas nucleares

O governo paquistanês confirmou hoje que está interrogando dois importantes cientistas nucleares suspeitos de manter vínculos com o regime afegão do Taleban. O major-general Rashid Quereshi, porta-voz do presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, disse que os peritos nucleares estão sendo questionados sobre uma possível ligação com o líder supremo do Taleban, o mulá Mohammar Omar. Quereshi acrescentou que os cientistas não haviam sido acusados de nenhum delito e que provavelmente serão postos em liberdade em poucos dias. O porta-voz afirmou também que o interrogatório fazia parte de uma investigação mais ampla e geral de organizações e pessoas que trabalharam no Afeganistão ou para as autoridades do país. O cientista Sultan Bashiru-Din Mehmood, pioneiro do programa nuclear paquistanês, foi o primeiro cientista nuclear detido no Paquistão desde que o país começou a desenvolver tecnologia nuclear no início da década de 70. O Ministério do Interior identificou o outro cientista detido como Abdul Majid, que trabalhou com Mehmood durante anos na comissão Paquistanesa de Energia Atômica. Os cientistas foram detidos na terça-feira por agentes dos serviços secretos na cidade de Lahore, oeste do Paquistão. A família de Mehmood insiste que o cientista é leal ao Paquistão e que não está envolvido em nenhuma atividade ilícita. O porta-voz da chancelaria paquistanesa, Riaz Mohammad Khan, disse que os cientistas não foram detidos, mas que simplesmente estão sendo interrogado. À pergunta se havia suspeita de que os cientistas tivessem passado segredos nucleares para o Afeganistão, Khan respondeu: "Não, em absoluto". Leia o especial

Agencia Estado,

26 Outubro 2001 | 16h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.