Paquistão libera cientista nuclear de prisão domiciliar

O Superior Tribunal paquistanês decidiu hoje que o cientista nuclear Abdul Qadeer Khan é um "cidadão livre", liberando-o de um regime de prisão domiciliar imposto por causa de sua suposta participação no vazamento de tecnologia nuclear bélica a outros países, inclusive, Coreia do Norte, Irã e Líbia.Agora com 72 anos, Khan saiu de sua casa e dirigiu-se a jornalistas pela primeira vez desde 2004, mas disse que não falaria sobre o programa nuclear paquistanês nem sobre nada referente ao vazamento de segredos. "Não queremos falar sobre coisas do passado", comentou Khan enquanto os guardas que vigiavam sua residência se afastavam em meio à aproximação de uma multidão de jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.Khan, arquiteto do programa nuclear do país e considerado um herói nacional pelos paquistaneses, assumiu sozinho, em 2004, a responsabilidade pelo vazamento de segredos, mas foi imediatamente perdoado pelo então presidente militar Pervez Musharraf e mantido em um regime de prisão domiciliar de fato.Ao longo dos últimos meses, especialmente depois da queda de Musharraf, os advogados de Khan trabalharam para que seu cliente fosse declarado homem livre.A decisão veio à tona hoje, mas o Superior Tribunal manteve sob termos confidenciais os detalhes da ordem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.