Paquistão liberta suspeitos de ataque nos EUA

Um tribunal anti-terrorismo do Paquistão absolveu quatro homens acusados de ajudar um paquistanês-americano a realizar um ataque na Time Square, em Nova York (EUA), em maio de 2010. A informação foi divulgada pelos advogados e familiares dos acusados.

AE, Agência Estado

02 de junho de 2012 | 19h36

Os quatro homens foram presos logo após a tentativa de ataque realizada por Faisal Shahzad, que fracassou quando os explosivos no seu veículo não detonaram. Ele foi condenado e admitiu que recebeu treinamento do Taleban paquistanês na região tribal do seu país, perto da fronteira com o Afeganistão. Atualmente ele cumpre pena de prisão perpétua nos EUA.

A tentativa de ataque aumentou as tensões entre o Paquistão e os EUA, que acusam o governo paquistanês de não fazer o bastante para combater os militantes terroristas em seu território. Mesmo estando presos há dois anos, poucos detalhes foram revelados sobre a participação dos quatro homens absolvidos hoje. Esse tipo de julgamento raramente produz alguma condenação no Paquistão, porque a polícia geralmente não tem capacidade de investigação, os promotores não têm experiência com casos de terrorismo e os juízes e testemunhas muitas vezes estão sujeitos a intimidações.

Um dos homens libertados hoje, Muhammad Shoaib Mughal, era acusado de fornecer ajuda financeira a Shahzad, segundo seu advogado, Malik Imran Safdar. Os outros três, Humbal Akhtar, Muhammad Shahid Husain and Faisal Abbasi eram acusados de serem cúmplices de Mughal.

Dois outros homens que haviam sido presos pelo governo paquistanês na época do ataque já tinham sido libertados anteriormente. Não está claro se ainda existe alguém preso relacionado com esse caso. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.