Paquistão mata um dos principais líderes da Al-Qaeda

O Exército do Paquistão disse neste sábado que soldados mataram o chefe de operações globais da Al-Qaeda, Adnan Shukrijumah, durante um ataque no Waziristão do Sul, na região tribal do país. Nos EUA o terrorista saudita, de 39 anos, era acusado de planejar um atentado a bomba no metrô de Nova York. O FBI (a polícia federal dos EUA) coloca Shukrijumah entre os "mais procurados" e havia oferecido uma recompensa de US$ 5 milhões por informações que levassem ao seu paradeiro.

AE, Estadão Conteúdo

06 de dezembro de 2014 | 10h56

Promotores federais dos EUA alegam que o terrorista recrutou e treinou três homens no Paquistão em 2008 para realizar ataques contra os metrôs de Nova York e Londres. Shukrijumah estudou química e ciência da computação em uma faculdade comunitária da Flórida nos anos 1990 e foi provavelmente o único líder da Al-Qaeda a ter um visto de residência nos EUA. Quando o FBI tentou prendê-lo em 2003, como testemunha em outro caso de terrorismo, ele já havia deixado o país.

O Exército do Paquistão disse que Shukrijumah recentemente se mudou do Waziristão do Norte para o Waziristão do Sul, para evitar operações militares lançadas em junho na região. Ele estava escondido em um complexo quando foi morto, mas não há mais detalhes sobre o ataque. Outros cinco terroristas foram presos. Um soldado paquistanês morreu e outro ficou ferido no combate. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
PaquistãoAl-Qaedamorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.