Paquistão nega pacto com a Índia sobre geleira de Siachen

O Paquistão negou ter chegado a um compromisso com a Índia para confirmar as posições de suas respectivas tropas na disputada geleira de Siachen, na fronteira norte entre os dois países.O ministro de Assuntos Exteriores paquistanês, Khurshid Mahmood Kasuri, explicou que o Paquistão apresentou um plano detalhado à Índia para uma resolução amistosa do conflito de Siachen.No entanto, acrescentou que não pode dar detalhes sobre o plano, mas que as intenções são esclarecer as posições reais das tropas. Kasuri assegurou que o conflito de Siachen poderia ser resolvido em dias caso haja vontade política.Segundo o ministro paquistanês, estão sendo feitos sérios esforços para a luta contra o terrorismo, um avanço que se reflete na primeira reunião do mecanismo conjunto contra este, estipulada em novembro e que será realizada em março de 2007.Os analistas afirmam que os custos humanos e econômicos de manter um conflito durante duas décadas sobre a posse da geleira de Siachen, uma zona remota e inóspita, estão exaurindo os recursos do Paquistão e da Índia.Desde 1984, quando o Paquistão levou a cabo a operação clandestina "Meghdoot" e estabeleceu postos permanentes na geleira de Siachen, as duas potências nucleares se enfrentaram militarmente pelo controle do mais alto campo de guerra do mundo, uma zona estratégica na fronteira entre Paquistão, Índia e China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.